Quero trazer à memória o que me pode dar esperança.” Lamentações 3:21

 

Olá povo lindo!

Como eu amo fotografias! Como gosto de fotografar e ser fotografada. Gosto
de registrar momentos por mais insignificantes e banais que sejam.
Gosto de fotografar quando estamos todos arrumados e cheirosos (isso
é importante), mas também gosto daquelas fotos em que os miúdos
acabaram de acordar ou fizeram uma bagunça na cozinha ou
simplesmente quando naquelas tardes frias de inverno estamos todos
amontoados na sala vendo televisão. A fotografia nos permite
eternizar, mesmo quando nossa memória já “deletou” (por falta
de espaço, como é o meu caso) a muito tempo.

Gosto imenso de me sentar e pegar os álbuns antigos,(é sou da velha
guarda; fotografia para mim tem que ser em papel). Para mim é um
deleite relembrar momentos que já passaram. Alguns ótimos que me
arrancam verdadeiras gargalhadas, outros não tanto assim mas que,
fazem-me lembrar da lição aprendida. Essas fotografias para mim são
verdadeiros memoriais, no sentido de não me deixar esquecer.

Quando lemos as batalhas e conquistas do Rei Davi, vemos que essas não
começaram depois que ele se tornou rei e sim, começaram lá no
campo quando ele ainda era um simples pastor de ovelhas. Davi lutou
com um leão e um urso, e creio que na casa* dele ele tinha um
cantinho onde colocar a cabeça do leão e do urso, para que toda as
vezes que ele olhasse para elas ele se lembrasse da mão poderosa de
DEUS, que o livrou daquelas feras. Memoriais! 

É isso queridos que as fotografias são para mim, memoriais. Memoriais
que lembram felicidade, gozo, alegria, ou que lembram tratamento,
prova, deserto. Mas todos eles levam o meu coração a olhar para
Aquele que permite tanto um como o outro, e ser grata a Ele por tudo.

 

Beijos e abraços.

Fá.

* Isso não está na bíblia, é pura “viagem na maionese” do Tico e Teco.

 

 

 

Anúncios

Olá amados!

É com grande prazer que dou início a este blog. Essa idéia já vem a perseguir-me por vários anos. Lembro-me que a primeira vez, foi logo após os miúdos terem nascido. Queria compartilhar com outras mães as aventuras de ser mãe, e aceitar até alguns conselhos, já que estava longe da “mamãe”. Mas, a medida que o trabalho (com eles) foi aumentando o “Tico e o Teco” ( forma carinhosa a qual chamo os meus dois neurônios) foram hibernando.

A segunda vez foi quando minha querida amiga Andresa criou o www.vivoeaprendo.wordpress.com, (recomendadíssimo) para nos contar sobre sua experiência maravilhosa e vitoriosa sobre o cancro. Não que eu queira me comparar a ela pois, com certeza ela tem mais do que dois neurônios, mas vendo a sua idéia e vendo como correu tão bem, aquela vontade miudinha voltou com toda força. Então pensamos (eu, Tico e Teco), por que não?

Queria um lugar onde pudesse falar de tudo. Quem me conhece sabe que eu gosto de falar e também sabe que sou louca por diários. Cultivo esse hábito desde os meus longínquos treze anos até hoje…eu sei, eu sei nem todos são perfeitos! Por isso me pareceu bem a idéia de criar um blog.

Sou totalmente leiga no que diz respeito a esse universo, mas amo “cavucar” na net e descobrir como se funciona tudo. Não se preocupem se a medida que forem lendo os meus futuros posts (olha a fé) verem cores, letras ou algo mais, é que estou a descobrir mesmo com o funciona, ok?

Minha inspiração para o nome veio de Habacuque 3:17 a 19 onde profeta cita algumas adversidades que podemos passar, muitas delas grandes e graves, mas que nenhuma delas é maior que o nosso Deus, pois sabemos que a nossa confiaça está no Senhor.

E é esse o objetivo deste blog, mesmo com toda descontração, levar-nos a ver a vida de um ângulo diferente, de uma posição diferente. Sabendo que o Senhor Jesus nos supre e sempre nos faz caminhar acima dos problemas, das decepções, acima do pecado, das tentações, fazendo nosso pés como o da corça e nos levando a “lugares elevados”.

Ósculos e amplexos,

Fá.